Miraflores Palace/Handout via REUTERS
Miraflores Palace/Handout via REUTERS

EUA estudam proibir operadoras de cartão de crédito de funcionar na Venezuela

Em virtude da hiperinflação que atinge a Venezuela e a escassez de papel moeda para imprimir dinheiro, muitos venezuelanos preferem fazer as compras no cartão

Redação, O Estado de S.Paulo

14 de março de 2019 | 16h58

WASHINGTON - Autoridades americanas estudam impedir as empresas Mastercard e Visa de operar na Venezuela como parte das sanções ao regime de Nicolás Maduro

“O objetivo dessas sanções é continuar a impedir o acesso do regime a fundos e a roubar o que pertence ao povo venezuelano”, disse uma fonte do governo à Reuters

Na última semana, em consequência do blecaute que atingiu a maior parte do país, os venezuelanos ficaram sem acesso a caixas eletrônicos e máquinas de cartão de crédito e débito.

Em virtude da hiperinflação que atinge a Venezuela e a escassez de papel moeda para imprimir dinheiro, muitos venezuelanos preferem fazer as compras no cartão a usar dinheiro em espécie. A prática é incentivada pelo chavismo, que encontra dificuldades para imprimir o volume de dinheiro necessário para acompanhar a alta dos preços.

 Sanções contra o setor de cartões, dependendo de como sejam desenhadas, podem se tornar potencialmente problemáticas. / REUTERS

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.