EUA excluem países contra a guerra de verba para o Iraque

O Canadá criticou a decisão do Departamento de Defesa dos Estados Unidos (Pentágono) de proibir que empresas de países contrários à invasão do Iraque recebessem concessões de contratos para a reconstrução do país árabe. A decisão impede que empresas de países como França, Alemanha e Canadá consigam esses contratos - estimados em US$ 18,6 bilhões -, já que seus governos foram contra a guerra."Se esses comentários estiverem corretos, será muito difícil destinar mais dinheiro para a reconstrução do Iraque", disse o vice-ministro canadense de Relações Exteriores, John Manley. "Excluir os canadenses pelo mero fato de serem canadenses seria inaceitável, já que os americanos aceitaram o dinheiro de nossos contribuintes para a reconstrução do Iraque."Steven Hogue, porta-voz do primeiro-ministro Jean Chrétien, revelou que o Canadá contribuiu com mais de US$ 200 milhões para a reconstrução iraquiana.A ordem foi assinada na sexta-feira pelo subsecretário americano de Defesa, Paul Wolfowitz, e apareceu ontem na página do Pentágono na internet, limitando as licitações a empresas com sede nos Estados Unidos, no Iraque e nos países que foram parceiros da coalizão ou contribuíram com soldados. O documento alega que a medida "é necessária para a proteção de interesses essenciais para a segurança dos Estados Unidos".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.