Thaier Al-Sudani/Reuters
Thaier Al-Sudani/Reuters

Estados Unidos exigem o fim dos ataques contra bases militares no Iraque

Secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, exige o fim das "violações à soberania do Iraque"; quatro iraquianos ficaram feridos hoje após novo ataque

Redação, O Estado de S.Paulo

12 de janeiro de 2020 | 20h37

WASHINGTON - O secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, exigiu o fim das "violações à soberania do Iraque" neste domingo, 12, após o ataque a mísseis contra a base militar de Al Balad, incidente que deixou quatro iraquianos feridos.

"Indignado com os relatos de outro ataque com mísseis contra uma base aérea iraquiana. Rezo pela rápida recuperação dos feridos e peço ao governo iraquiano para que faça os responsáveis prestarem contas por este ataque ao povo iraquiano. Estas violações contínuas da soberania iraquiana por grupos que não são leais ao governo iraquiano precisam terminar", escreveu Pompeo no Twitter.

A Célula de Comunicação de Segurança Iraquiana confirmou horas antes, em comunicado, que oito foguetes do tipo Katyusha caíram na base de Al Balad, onde há tropas americanas, ferindo quatro efetivos iraquianos, incluindo dois oficiais.

Para Entender

Guia visual para entender a crise entre Irã e Estados Unidos

Desde o ataque um navio petroleiro em junho de 2019, país do Oriente Médio e Estados Unidos vivem escalada de tensão

Uma fonte do Comando de Operações da província de Saladino, que pediu anonimato, disse à Agência Efe que os feridos foram transferidos para um hospital e que as vítimas são de nacionalidade iraquiana.

Localizada ao norte de Bagdá, Al Balad é uma das maiores bases aéreas do país árabe e tem no arsenal caças-bombardeiros F16 que o Iraque adquiriu dos Estados Unidos. Além disso, a base abriga tropas americanas.

Este é o terceiro ataque a mísseis contra esta base nos últimos dias, depois de um foguete ter caído nos arredores na quinta-feira passada, sem causar baixas, e a parte sul ter sido atacada na semana passada, danificando alguns depósitos de armas do Exército iraquiano.

Para Entender

Quem era Qassim Suleimani, general assassinado em ataque dos EUA

Militar conseguiu costurar importantes alianças dentro e fora do Oriente Médio

Nos últimos dias foram registradas várias operações com mísseis contra a Zona Verde em Bagdá, área onde estão localizados edifícios do governo e embaixadas, entre elas a dos Estados Unidos.

Tudo isso ocorre em meio a uma grave escalada de tensão no Oriente Médio desencadeada pelo ataque dos EUA em Bagdá, que há dez dias matou general iraniano Qassim Suleimani. Ao longo da semana, o Irã respondeu lançando mísseis contra duas bases militares que abrigam tropas americanas no oeste e no norte do Iraque. / EFE

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.