EUA exigem que México apresente assassinos de jornalista

O embaixador dos Estados Unidos no México, Antonio Garza, exigiu que o governo mexicano leve à justiça os assassinos do operador de TV americano Will Bradley, morto duranteuma manifestação em Oaxaca no ano passado."A investigação sobre a morte de Bradley ainda não levou anenhuma detenção, e estamos profundamente preocupados com a falta de progressos", disse o diplomata em comunicado, nesta quarta-feira.Além disso, o embaixador recomendou aos americanos interessados em viajar ao estado de Oaxaca que mantenham a cautela, já que o risco de manifestações e confrontos violentos continua.Garza lembrou que Bradley, que trabalhava como câmera para a organização alternativa Indy Media, foi assassinado em 27 de outubro durante um confronto em Oaxaca, onde a Assembléia Popular dos Povos de Oaxaca (APPO) enfrentava grupos armados.O conflito começou com um protesto por reivindicações sindicais, mas se agravou depois de o governador do estado, Ulises Ruíz, ordenar uma repressão violenta, em 14 de junho.Em resposta, várias organizações sociais se somaram aos protestos e formaram a APPO, exigindo a renúncia do governador Ruiz. O conflito deixou pelo menos 11 mortos, entre eles o câmara americano."Continuamos pedindo às autoridades mexicanas que apresentem à justiça o responsáveis pela morte de Will", acrescentou o embaixador.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.