Nelson Almeida/AFP
Nelson Almeida/AFP

EUA exigirão teste negativo de covid-19 para viajantes que chegarem ao país de avião

Medida baixada pelos Centros de Controle e Prevenção de Doenças dos EUA entra em vigor no dia 26 de janeiro

Redação, O Estado de S.Paulo

12 de janeiro de 2021 | 19h21
Atualizado 12 de janeiro de 2021 | 20h18

WASHINGTON - Os viajantes que  precisarem entrar nos Estados Unidos por aeroportos, partindo de destinos internacionais, deverão apresentar prova de um teste de covid-19 negativo antes de embarcar em seu voo. 

Os Centros de Controle e Prevenção de Doenças dos EUA (CDC, na sigla em inglês) anunciaram a nova política nesta terça-feira, 12, e disseram que ela entrará em vigor em 26 de janeiro. A agência disse que espera que a nova exigência de teste ajude a desacelerar a disseminação do vírus, atualmente em alta nos Estados Unidos, conforme a distribuição da vacina continua, segundo reportagem do jornal USA Today.

“O teste não elimina todos os riscos”, disse o diretor do CDC, Robert R. Redfield, em um comunicado. "Mas quando combinado com um período de permanência em casa e precauções diárias como uso de máscaras e distanciamento social, pode tornar a viagem mais segura, mais saudável e mais responsáveis pela redução da contaminação nos aviões, nos aeroportos e nos destinos”.

Segundo reportagem do USA Today, no comunicado, os CDC explicam que os viajantes devem fazer um teste viral três dias antes de seu voo para os EUA, o que provavelmente fará com que alguns turistas tenham de encontrar locais para a testagem durante a viagem.

Os passageiros terão de apresentar prova de um teste negativo para sua companhia aérea antes do embarque. Se um passageiro não fornecer a documentação ou optar por não fazer o teste, a companhia aérea deverá recusar o embarque, afirmam o CDC.

A mudança ocorre em um momento de preocupação com a disseminação da nova variante do vírus registrada no Reino Unido e da qual vários casos já foram registrados nos Estados Unidos.

Desde o fim de dezembro, o país já exige a apresentação de um teste de coronavírus negativo, feito no máximo 72 horas antes da viagem, para quem voa de aeroportos britânicos.

Atualmente, os EUA proíbem a entrada de viajantes de muitos países, incluindo os da União Europeia (UE), a menos que sejam cidadãos dos EUA, residentes permanentes ou tenham uma isenção. O CDC não indicou se essas novas diretrizes substituirão as restrições existentes./COM AFP e EFE 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.