EUA explicam acusação contra "americano inimigo"

O suposto terrorista José Padilla, detido por autoridades federais americanas como ?combatente inimigo?, embora seja cidadão dos EUA, se preparava para dinamitar hotéis e prédios de apartamento nos Estados Unidos, além de detonar uma "bomba suja" radiológica no país, informam documentos governamentais distribuídos hoje pelo Departamento de Justiça."Padilla e um cúmplice (ligado à Al-Qaeda) tinham que selecionar pelo menos três altos edifícios de apartamento que contassem com sistema de gás encanado", afirma um resumo feito pelo governo com base nos interrogatórios dos suspeitos. Líderes da Al-Qaeda "queriam que Padilla atacasse alvos em Nova York, embora também falassem sobre a Flórida e Washington, DC", indicam os documentos.O Departamento de Justiça, pressionado para explicar a detenção indefinida de cidadãos americanos como "combatentes inimigos", detalhou o suposto treinamento de Padilla no Afeganistão e seus contatos com a liderança da Al-Qaeda, seu regresso aos EUA e os preparativo para explodir edifícios.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.