EUA expulsam dezenas de diplomatas russos

Os Estados Unidos ordenaram que quase 50 diplomatas russos, suspeitos de serem membros do serviço secreto, abandonem o país, informaram fontes do Pentágono na noite desta quarta-feira. A medida é uma retaliação pelo caso do agente espião do FBI Robert Hanssen, que trabalhou para Moscou por mais de 15 anos. Ainda não há um prazo estabelecido para a partida dos acusados.Todos eles estariam ligados diretamente a Hanssen, que transmitiu mais de 6.000 páginas de documentos, classificados como ultra-secretos pelo governo norte-americano, ao serviço secreto de Moscou. Porta-vozes da Casa Branca recusaram-se a confirmar a informação, dizendo que só o Departamento de Estado poderia fazê-lo. Um funcionário da Embaixada da Rússia em Washington também não comentou o assunto.Esta é a maior expulsão de diplomatas da Rússia desde 1986, quando o então presidente Ronald Reagan mandou 80 soviéticos da antiga URSS de volta para casa. A última vez que os Estados Unidos adotaram a medida foi em 1999, quando expulsaram Stanislav Gusev.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.