Greg Baker / AFP
Greg Baker / AFP

EUA expulsaram em segredo dois diplomatas chineses por suspeita de espionagem, diz jornal

Segundo o ‘New York Times’, funcionários da embaixada chinesa tentaram entrar em uma base militar na Virgínia sem autorização

Redação, O Estado de S.Paulo

15 de dezembro de 2019 | 16h27

WASHINGTON - Os Estados Unidos expulsaram secretamente dois funcionários da embaixada chinesa em setembro, depois que estes tentaram entrar em uma base militar na Virgínia, informou o jornal New York Times neste domingo, 15.

A publicação, que citou pessoas com conhecimento sobre o caso, disse que esta seria a primeira vez em mais de 30 anos que Washington expulsou diplomatas chineses por suspeita de espionagem.

Acredita-se que pelo menos um dos diplomatas era um oficial da inteligência que operava disfarçado, segundo o NYT.

Perseguição

O jornal acrescentou que os diplomatas, acompanhados de suas mulheres, dirigiram até o posto de controle da entrada de uma instalação perto de Norfolk, na Virgínia, que inclui forças de operações especiais.

O guarda viu que eles não tinham permissão para entrar e mandou que fossem embora.

Mas os chineses continuaram em direção à base, fugindo dos militares que os perseguiram até serem obrigados a parar por caminhões de bombeiros que bloquearam o caminho.

Os diplomatas alegaram que não haviam entendido as instruções do guarda e que estavam perdidos.

Semanas após o incidente, o Departamento de Estado impôs restrições às atividades dos diplomatas chineses. / AFP

Notícias relacionadas

    Encontrou algum erro? Entre em contato

    Tendências:

    O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.