EUA expurgam membros do Baath da reconstrução

Os Estados Unidos decidiram expurgar qualquer influência do Partido Baath, que apoiava o governo de Saddam Hussein, de seus esforços de reconstrução no Iraque. Uma alta autoridade do Escritório de Reconstrução e Assistência Humanitária dos EUA disse que entre 15.000 e 30.000 integrantes do Partido Baath serão proibidos de assumir qualquer função no futuro governo iraquiano. "O Partido Baath no Iraque está acabado", decretou a autoridade, que pediu para não ser identificada. "Com essa medida, colocaremos uma estaca em seu coração".Militares dos EUA anunciaram a prisão de Adilabdillah Mahdi al-Duri al-Tikriti, um líder do Baath que também era o número 52 na lista dos mais procurados pelos EUA do antigo regime. Al-Duri era o presidente do comando regional do Baath num distrito nas proximidades de Tikrit e foi detido na quinta-feira na vila de al-Dawr. Tikrit é a cidade natal de Saddam Hussein e um bastião do Partido Baath.O partido era dominado por muçulmanos sunitas num país majoritariamente xiita.Na cidade sagrada xiita de Karbala, voluntários escavavam uma vala comum e recuperaram os restos de 45 corpos. Moradores suspeitam que até 5.000 corpos foram enterrados na área, apesar de eles não terem oferecido provas. A vala comum é a terceira descoberta nesta semana no Iraque.Em Berlim, o secretário de Estado americano, Colin Powell, disse ter chegado a hora de a comunidade internacional pôr fim às sanções das Nações Unidas contra o Iraque. O chanceler alemão, Gerhard Schroeder, concordou que "não faz sentido" manter as medidas punitivas contra o povo iraquiano.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.