EUA extraditarão à Austrália médico que praticou eutanásia

Jayant Patel é acusado de ter praticado eutanásia em 17 pacientes na Austrália

EFE,

20 de julho de 2008 | 04h30

O médico americano Jayant Patel, acusado de ter praticado eutanásia em 17 pacientes na Austrália, será extraditado na próxima semana ao país pelos Estados Unidos para ser julgado. A secretária de Estado americana, Condoleezza Rice, já assinou os papéis da extradição e o réu viajará em poucos dias à Austrália, anunciou neste domingo a chefe do Governo do estado australiano de Queensland, Anna Bligh. Patel, atualmente preso na cidade americana de Los Angeles, dirigiu entre 2003 e 2005 o Bundaberg Base Hospital, em Queensland, onde ocorreram as 17 mortes. O médico deixou o centro em 2005, quando começava a ser investigado e um ano antes de os tribunais australianos emitirem uma ordem de detenção contra ele por três acusações de homicídio e quatro de negligência médica. O cirurgião, de 57 anos e origem indiana, tinha sido acusado anteriormente do mesmo delito nos EUA, onde foi detido em março pelo FBI. Seu caso gerou um enorme escândalo na Austrália, que estuda a possibilidade de reformar as leis para o recrutamento de médicos estrangeiros.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.