EUA falam em extraditar suspeito pela morte de jornalista

O embaixador dos EUA no Paquistão, Wendy Chamberlin, conversou nesta terça-feira com o presidente paquistanês Pervez Musharraf sobre uma possível extradição de Ahmaed Omar Saeed, principal suspeito no seqüestro seguido de morte do jornalista norte-americano Daniel Pearl. Segundo a Casa Branca, Chamberlin deixou claro ao Paquistão que pretende julgar Saeed, também conhecido como xeque Omar, que atualmente está sob custódia paquistanesa. "Os EUA desejariam muito pôr as mãos no xeque Omar e em outros responsáveis (pelo seqüestro)", afirmou o porta-voz da Casa Branca, Ari Fleischer.De acordo com um funcionário do Ministério do Interior do Paquistão, que pediu anonimato, Musharraf e Chamberlein concordaram na necessidade de manter Saeed no Paquistão, no momento, para facilitar a descoberta do corpo de Pearl e das armas utilizadas para matá-lo. Autoridades norte-americanas afirmaram que a extradição de Saeed, que é natural da Grã-Bretanha, já havia sido solicitada antes mesmo que ele figurasse como principal suspeito do assassinato de Pearl.Em 1994, uma corte federal dos EUA sentenciou Saeed secretamente pelo seqüestro de quatro ocidentais na Índia, incluindo um norte-americano. Ontem, Saeed foi levado à corte de Karachi, cidade do sul do Paquistão onde Pearl fora seqüestrado. O juiz responsável pelo caso determinou que o suspeito e seus dois supostos cúmplices permaneçam presos por mais duas semanas. Leia o especial

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.