EUA fazem concessão a sequestradores de jornalista

Autoridades iraquianas anunciaram nesta quinta-feira a libertação de 420 presos, entre eles 5 mulheres das oito cuja libertação era exigida pelos seqüestradores da jornalista americana, Jim Carroll.O "organismo combinado para a revisão (de casos judiciais) e libertação" anunciou as libertações, que serão feitas entre esta quinta e sexta-feira, sem estabelecer em nenhum momento um vínculo entre elas e as exigências dos seqüestradores.Este organismo, criado em 2004, é formado por funcionários dos ministérios de Interior, Justiça e Direitos Humanos, além de oficiais das tropas multinacionais lideradas pelos Estados Unidos, e se apresenta oficialmente como "dirigido pelos iraquianos".Jill Carroll, jornalista freelancer, foi seqüestrada em 7 de janeiro quando trabalhava para o Christian Science Monitor e se dispunha a entrevistar um líder religioso sunita.O tradutor iraquiano que a acompanhava foi morto a tiros durante o seqüestro.As "Brigadas da Vingança", grupo até então desconhecido, assumiu a autoria de seu seqüestro e exigiu a libertação de oito mulheres iraquianas como condição para a libertação de Carroll.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.