EUA, finalmente, devolvem Tratado de Fontainebleau

Finalmente, os Estados Unidos aceitaram devolver o Tratado de Fontainebleau à França. Mas foram necessários seis anos de negociações entre Paris e Washington. É verdade que esse documento não é uma peça insignificante. É um dos grandes momentos da história francesa.Em 2 de abril de 1814, os Exércitos aliados atacaram a França.Napoleão combateu como um demônio, mas os aliados entraram em Paris. O imperador, isolado em Fontainebleau, assinou o tratado, imposto pelo czar da Rússia, Alexandre I, pelo rei da Prússia, Guilherme III, e pelo imperador da Áustria, Francisco I.Napoleão abdicou, conservando seu título imperial. Foi banidopara a minúscula Ilha de Elba (Mediterrâneo) e recebeu pensãoalimentar de 2 milhões de francos. O texto do tratado foicopiado em quatro exemplares - um deles, o assinado peloprussiano, estava nos Arquivos da França.Portanto, esse tratado é um dos documentos mais preciosos detoda a história da França. Ora, em maio de 1996, foi anunciadopara venda pela casa de leilões Sotheby´s, em Nova York.Surpresa! Estupefação! Como esse precioso papel, trancado nosArquivos da França, chegou à Sotheby´s? Evidentemente, nada deleilões! E denúncia de roubo. O FBI foi alertado. Anos deinvestigação. A Sotheby´s explicou ao FBI que o documento lhefoi simplesmente enviado pelo correio. A investigação continua. Em março de 2001, dois homens foram presos no Tennessee, incriminados e, em seguida, libertados sob fiança. Eles não são ladrões convencionais. São intelectuais. Um deles é um velho historiador. O outro, um jovem pesquisador que quer se familiarizar com Napoleão para escrever um romance histórico.O FBI fez buscas nas casas de ambos. Foram encontradas outraspeças. Tudo isso teria sido roubado dos Arquivos franceses em1988. Mas os americanos negam. Afirmam que compraram osdocumentos em Lyon de uma mulher cujo nome esqueceram.Napoleão continua a encantar o mundo. Tudo o que foi tocadopelo gênio é venerado dois séculos após sua morte. Uma simplescamisa usada por ele atinge preços astronômicos. Há poucos anos,mechas de seus cabelos foram objeto de um próspero negócio. E oque é melhor: um colecionador americano tentou vender há cincoou seis anos o pênis de Napoleão, que teria sido retirado de seucadáver em Santa Helena. Pênis que, como fomos informados, teria encolhido por trabalho do tempo. Mas de qualquer maneira de um tamanho extremamente reduzido. Pobre Joséphine! - uma bela crioula fogosa que gostava tanto de ter amantes e, ao mesmotempo, continuava muito apaixonada por seu Napoleão.Em abril de 1996, uma carta de Napoleão para Joséphine, muitoemocionante, foi apreendida no porta-malas de um carro no portode Ajaccio, na Córsega. Como esse objeto foi parar nesseporta-malas? Mistério. Hoje, a carta está nos Arquivos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.