EUA foram alertados sobre atentados com aviões

Os serviços secretos dos Estados Unidos receberam diversas indicações sobre a preparação de um atentado contra o país, inclusive 12 informes específicos sobre a possibilidade de grupos considerados terroristas, em especial a Al-Qaeda, utilizarem aviões para cometer ataques no território norte-americano. Esse é um dos principais destaques de um relatório de 31 páginas sobre os resultados da investigação conjunta do Senado e da Câmara Federal sobre as falhas dos serviços de segurança em relação aos atentados de 11 de setembro de 2001.As conclusões foram expostas nesta quarta-feira pela chefe da investigação, Eleanor Hill, após os comitês de inteligência do Congresso terem analisado cerca de 400.000 documentos e ouvido depoimentos a portas fechadas durante quatro meses. Segundo Hill, o relatório não traz detalhes sobre se os dados colhidos antes do 11 de setembro sugeriam que os terroristas poderiam usar aviões como bombas porque o diretor da CIA, George Tenet, se recusou a apresentar informações secretas sobre isso.O relatório assinala que, apesar de consciente de modo geral do recurso a esse método de ataque, "a comunidade de inteligência não produziu nenhum informe sobre a probabilidade de terroristas planejarem usar aviões como se fossem mísseis". "Geralmente não tinham informações específicas sobre onde, quando e como o ataque terrorista poderia ocorrer e geralmente os dados obtidos não são reforçados por outros." Além disso, os serviços secretos acreditavam que qualquer ação seria fora dos EUA, disse Hill.Outro ponto importante: dois meses antes dos ataques - nos quais morreram mais de 3.000 pessoas - o setor de inteligência informou altos funcionários do governo norte-americano de que Osama bin Laden, o líder da Al-Qaeda, estava preparando algo "grande", possivelmente dentro dos Estados Unidos. A comissão observou que, embora não tenha ficado claro se os dados coletados se relacionavam com o 11 de setembro, é evidente que os serviços secretos nunca se detiveram profundamente na ameaça de seqüestro de aviões que poderiam ser jogados contra prédios.Em agosto de 1998, por exemplo, o FBI (a polícia federal norte-americana) e a Administração Federal de Aviação tomaram conhecimento de que um "grupo de árabes não identificados planejava levar um avião carregado de explosivos de um outro país e jogá-lo no World Trade Center". O grupo talvez fosse vinculado à Al-Qaeda. Havia ainda indicações de que seguidores de Bin Laden poderiam armar um ataque com aviões em Nova York e Washington. O material coletado vai de 1994 até um mês antes do 11 de setembro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.