EUA, França e Reino Unido querem novas sanções ao Irã

Os EUA, a França o Reino Unido disseram na quinta-feira, 22, que estão preparados para estudar novas sanções ao Irã. Os cinco membros do Conselho de Segurança da ONU e a Alemanha devem realizar um encontro em Londres, na próxima segunda-feira, 26.A reunião entre os seis países foi anunciada pelo subsecretário de Estado americano, Nicholas Burns. Na quinta, a Agência Internacional de Energia Atômica (AIEA) divulgou um relatório revelando que o Irã não suspendeu o enriquecimento de urânio, conforme havia exigido o Conselho de Segurança da ONU."Está claro que o Irã não está cumprindo as resoluções do Conselho de Segurança e as diretrizes da Agência Internacional de Energia Atômica", disse a embaixadora americana na ONU, Jackie Sanders. "Vamos tentar discutir isso com os outros membros nos próximos dias".A primeira resolução do Conselho de Segurança, aprovada pelos países em 23 de dezembro do ano passado, determinava um prazo de 60 dias para que o Irã suspendesse o enriquecimento de urânio. No entanto, o período expirou no último dia 21 e, segundo o relatório da AIEA, Teerã aumentou o volume de urânio que está enriquecendo.Segunda resoluçãoO embaixador da França na ONU, Jean-Marc de la Sablière, concordou com as declarações americanas e disse que "o Irã não está respondendo aos pedidos do Conselho de Segurança". "É preciso convencer os outros membros do órgão de que uma segunda resolução é necessária."A titular do Ministério de Assuntos Exteriores do Reino Unido, Margaret Beckett, afirmou que o Conselho de Segurança continuará estudando os próximos passos para solucionar a crise. Ela ressaltou ainda que o país continua empenhado em buscar uma solução diplomática. "Estamos determinados a evitar que o Irã adquira recursos para desenvolver armas nucleares", declarou.Este texto foi alterado às 8h30 para acréscimo de informações

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.