EUA frustram plano da Al-Qaeda no Iêmen para explodir avião

Segundo o Pentágono, a bomba, escondida nas roupas do terrorista, seria detonada no aniversário da morte de Bin Laden

WASHINGTON, O Estado de S.Paulo

08 Maio 2012 | 03h02

O governo americano revelou ontem ter impedido um atentado da Al-Qaeda na Península Arábica contra um avião de uma companhia comercial que seguia para os Estados Unidos no dia 1.º, quando se completou um ano da morte do terrorista saudita Osama bin Laden.

Segundo o Pentágono, o explosivo seria escondido em roupas íntimas de um homem-bomba e era uma versão mais sofisticada do artefato usado pelo nigeriano Umar Farouk Abdulmutallab, em um atentado frustrado no Natal de 2009, em um voo que ia de Amsterdã para o Estado americano de Detroit.

O terrorista teria sido recrutado pela franquia da Al-Qaeda no Iêmen e o explosivo teria sido fabricado por Ibrahim Hassan al-Asiri, que preparou a bomba usada por Abdulmutallab.

De acordo com o FBI, o explosivo foi apreendido com a ajuda de agências de segurança no "estrangeiro". Ele não deu detalhes sobre sua procedência, mas e assegurou que "nunca representou uma ameaça para a segurança pública".

O presidente Barack Obama foi informado em abril sobre o plano terrorista pelo chefe antiterrorismo da Casa Branca, John Brennan, e recebeu relatórios periódicos de sua equipe de segurança.

Um funcionário de alto escalão do serviço de segurança disse que não está claro se existem mais explosivos. "Se eles fabricaram um, podem ter fabricado outros", disse o funcionário, que pediu para não ser identificado. "Essa é a parte assustadora", acrescentou. O Departamento de Segurança Interna informou, em um comunicado, que está adotando uma série de medidas para impedir atentados. / AP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.