EUA gastaram US$ 1,1 bilhão no Iraque e na Síria

O Pentágono gastou cerca de US$ 1,1 bilhão em operações militares americanas contra militantes do grupo extremista Estado Islâmico no Iraque e na Síria desde que a missão começou em meados de junho.

Estadão Conteúdo

06 de outubro de 2014 | 21h13

O Centro de Comando dos EUA informou nesta segunda-feira que a Marinha usou 185 munições, incluindo 47 mísseis de cruzeiro lançados de navios na região. O órgão afirmou que jatos de combate da Força Aérea usaram cerca de 1.000 munições. Mais de US$ 62 milhões foram gastos em bombardeios navais e em mísseis de cruzeiro Tomahawk.

Os custos das operações começaram de um patamar bem mais baixo em junho e escalaram quando os bombardeios aéreos começaram no norte no Iraque em 8 de agosto. No final de agosto, o Pentágono informou que os custos eram de US$ 7,5 milhões por dia, em média. Os bombardeios aéreos foram expandidos para a Síria em setembro, aumentando ainda mais os gastos.

Há atualmente mais de 1.300 soldados americanos no Iraque, incluindo profissionais de segurança, equipes de dois centros de operações em Bagdá e Erbil e times de conselheiros que trabalham com brigadas iraquianas. Fonte: Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
EUAIraqueSíria

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.