EUA grampearam delegados do Conselho de Segurança, diz jornal

O jornal inglês The Observer revelou hoje que os Estados Unidos grampearam e-mails e telefones de delegados do Conselho de Segurança da ONU, levando a diante um jogo sujo para ganhar votos a favor de uma guerra contra o Iraque. O jornal teve acesso a um memorando de um alto agente do serviço secreto que trabalha na Agência de Segurança Nacional, um projeto do governo americano para interceptar comunicações em todo o mundo.O memorando descreve ordens para que funcionários da Agência espionem, em particular "membros do Membros do Conselho da Segurança" forneçam informações atualizadas a respeito das votações sobre o Iraque.O memorando ainda aponta como alvos os delegados de Angola, Chile, Camarão, México, Guiana e Paquistão, cujo votos são disputados por Estados Unidos e Grã-Bretanha de um lado e França, China e Rússia do outro.O documento é dirigido a oficiais seniors da NSA (Agência Nacional de Segurança) e diz visar recolher informações "não somente como os delegados irão votar, mas também as ´políticas´, ´negociação de posições´, alianças e ´dependência´", ou seja "uma gama inteira de informações que possam ajudar a política americana a obter resultados favoráveis aos interesse dos EUA" no CS.A divulgação da operação dos EUA vem na semana que Blix fará a o que muitos esperam ser seu relatório final ao conselho da segurança.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.