Ueslei Marcelino|Reuters
Ueslei Marcelino|Reuters

EUA impõem sanções contra líder chavista Diosdado Cabello

Três empresas e outras três pessoas também foram sancionadas em meio a uma campanha de pressão contra o governo Maduro

O Estado de S.Paulo

18 Maio 2018 | 17h29

WASHINGTON -  O Departamento do Tesouro dos Estados Unidos anunciou nesta sexta-feira sanções econômicas contra o líder chavista Diosdado Cabello e outros três cidadãos da Venezuela dentro de uma campanha de pressão contra o governo de Nicolás Maduro, a dois dias das eleições presidenciais no país sul-americano.

Os EUA incluíram na lista o filho de Cabello, José David Cabello Rondón; a esposa do dirigente chavista, a ministra do Turismo, Marleny Josefina Contreras Hernández; e Rafael Alfredo Sarria Díaz.

Também foram alvos de sanções econômicas três empresas com sede em Boca Raton, na Flórida, segundo o Tesouro americano.

Atual primeiro vice-presidente do Partido Socialista Unido da Venezuela (PSUV), Cabello, de 55 anos, foi presidente da Assembleia Nacional, o parlamento do país, entre 2012 e 2016.

Como consequência das medidas, ficam congelados os ativos que as pessoas sancionadas tenham sob jurisdição americana. Empresas dos EUA ficam proibidas de realizar operações financeiras com eles.

O presidente dos EUA, Donald Trump, impôs nos últimos meses várias sanções econômicas contra integrantes do alto escalão do governo da Venezuela, incluindo o próprio presidente do país, Nicolás Maduro, alegando abusos de direitos humanos, corrupção e ações para minar a democracia.

A Venezuela vai às urnas neste domingo. Maduro é favorito, mas o pleito é muito criticado pela comunidade internacional e pela oposição. Os EUA chamam as eleições de "ilegítimas". / EFE

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.