REUTERS/Morteza Nikoubazl/File Photo
REUTERS/Morteza Nikoubazl/File Photo

EUA impõem sanções a empresa iraquiana ligada à Guarda Revolucionária do Irã 

As novas sanções congelam qualquer acesso que a companhia ou os executivos possam ter sob a jurisdição dos EUA e barra americanos de fazer negócios com eles

Redação, O Estado de S.Paulo

12 de junho de 2019 | 15h29

WASHIGNTON - A administração Trump vai impor sanções a uma empresa iraquiana ligada à Guarda Revolucionária do Irã. O Departamento do Tesouro informou que as sanções foram impostas à Companhia South Wealth Resources, em Bagdá, e a dois executivos. Os EUA dizem que a companhia e os dois homens são ligados ao braço internacional da Guarda Revolucionária, a Força Quds. 

No mês passado, a administração republicana designou a Guarda como uma organização terrorista estrangeira, o que significa que fornecer apoio material ao grupo fere a lei dos EUA.   

As novas sanções congelam qualquer acesso que a companhia ou os executivos possam ter sob a jurisdição dos EUA e barra americanos de fazer negócios com eles. 

Em maio de 2018, Trump, retirou os EUA do acordo sobre o programa nuclear iraniano de 2015, o que provocou novas sanções econômicas ao Irã.

Washington também reforçou a presença militar no Golfo e pressionou países aliados, como o Japão, a interromperem a compra de petróleo iraniano. / AP e AFP 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.