EUA impõem sanções à empresa ligada ao Hezbollah

O Departamento de Tesouro dos Estados Unidos impôs sanções a uma empresa com sede no Líbano, e suas filias nos Emirados Árabes Unidos e China, por supostamente vender equipamentos militares para o grupo radical libanês Hezbollah, incluindo material para fabricação de drones, disseram altos funcionários dos Estados Unidos.

AE, Agência Estado

10 Julho 2014 | 17h42

As sanções dos Estados Unidos proíbem entidades americanas de realizar qualquer negócio com Stars Group Holding, com sede em Beirute, suas subsidiárias e seus altos gestores. As medidas também exigem o congelamento de quaisquer que a empresa mantém dentro do sistema financeiro dos EUA.

O governo Obama acusou o Hezbollah, que os EUA designa como uma organização terrorista, de usar os drones para apoiar o presidente Bashar Assad na sua guerra civil - e para realizar vigilância aérea sobre Israel.

"Com o alcance perturbador muito além do Líbano, o Hezbollah explora o sistema financeiro internacional para reforçar suas capacidades militares na Síria e suas atividades terroristas em todo o mundo", disse David Cohen, subsecretário do Tesouro para Terrorismo e Inteligência Financeira. "Esta atividade terrorista global e a expansão de sua rede criminosa desmentem propósito alegado do Hezbollah como um movimento de libertação nacional".

O Tesouro também estendeu as sanções a Hanna Elias Khalifeh, um membro sênior do Hezbollah, por supostamente trabalhar com a empresa para adquirir equipamentos para os drones. Fonte: Dow Jones Newswires.

Mais conteúdo sobre:
EUA Hezbollah Síria Líbano Assad drones

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.