Shizuo Kambayashi/AP
Shizuo Kambayashi/AP

EUA impõem sanções a Pyongyang por arma química utilizada no assassinato do irmão de Kim Jong-un

Washington concluiu que Kim Jong-nam foi assassinado com uma dose do agente neurotóxico VX, violando a lei de 1991 sobre esse tipo de recurso

O Estado de S.Paulo

07 Março 2018 | 09h09

WASHINGTON - O governo dos EUA anunciou na terça-feira 6 novas sanções - as quais não especificou - contra a Coreia do Norte por utilizar uma arma química no assassinato de Kim Jong-nam, irmão do líder norte-coreano, Kim Jong-un, no aeroporto de Kuala Lumpur.

+ EUA responsabilizam Pyongyang pela morte de meio-irmão de Kim Jong-un

+ Meio-irmão de Kim Jong-un tinha antídoto contra agente VX que o matou

As sanções, que se somam a várias existentes, foram anunciadas após a conclusão no dia 22 de fevereiro da investigação sobre o assassinato de Kim Jong-nam, ocorrido em 13 de fevereiro de 2017 no aeroporto da capital da Malásia.

+ Malásia identifica norte-coreanos responsáveis por morte de irmão de ditador

Washington concluiu que Kim Jong-nam foi assassinado com uma dose do agente neurotóxico VX, utilizado como arma química, o que acarreta sanções automáticas em cumprimento de uma lei de 1991 sobre esse tipo de recurso.

Embora anunciadas na terça-feira, as sanções entraram em vigor na véspera, segundo informou o Departamento de Estado americano.

O anúncio foi feito no mesmo dia em que Kim Jong-un se mostrou disposto a negociar com os EUA a desnuclearização da península coreana. A decisão foi recebida com cautela pelo presidente americano, Donald Trump, mas com a expectativa de que possa render resultados.

"Acredito que são sinceros, mas acredito que o são também em razão das sanções e do que estamos fazendo a respeito da Coreia do Norte, e da ajuda que recebemos da China", disse Trump em uma entrevista coletiva na qual não se comprometeu a iniciar uma negociação formal com Pyongyang. / EFE

Relembre: Trump e Kim Jong-un trocam ofensas

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.