EUA incluem brasileiro em lista de grandes traficantes

O governo dos EUA divulgou uma lista de sete pessoas e organizações que são suspeitas de tráfico internacional de drogas. Fundos em nome dos membros da lista serão congelados, se em território americano, e cidadãos dos EUA estão proibidos de fazer negócios com eles. Um dos citados é o brasileiro Leonardo Dias Mendonça, o Léo. Os outros três indivíduos citados são mexicanos: Juan Jose Esparragoza Moreno, Jose Albino Quintero Meraz e Hector Luis Palma Salazar.Duas organizações rebeldes da Colômbia aparecem na lista: as Farc e as Autodefesas Unidas da Colômbia. A terceira organização é o Exército Unido do Estado Wa, de Mianmá, antiga Birmânia.O traficante brasileiro aparece também na lista dos doze maiores traficantes procurados pela agência norte-americana de combate ao tráfico (site oficial), acusado de produzir, distribuir e exportar cocaína. Habeas-corpus - Léo, preso em Brasília, é acusado de participar do esquema de venda de habeas-corpus, supostamente coordenado pelo ex-deputado Pinheiro Landim. Léo também era amigo de Fernandinho Beira-Mar e tentou negociar a liberdade do traficante.A amizade entre Léo e Beira-Mar nasceu durante negociações de drogas, na Colômbia, onde os dois estavam refugiados. Na ocasião, Mendonça trocava armas por cocaína com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farcs). Os dois traficantes estão presos mas são acusados de atuar no mercado de drogas por intermédio de comparsas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.