EUA indiciam membros das Farc por seqüestro e tráfico

Líderes de um grupo esquerdista colombiano rotulado como "terrorista" pelos Estados Unidos foram indiciados pelo seqüestro de cidadãos norte-americanos e tráfico de drogas, de acordo com informações reveladas hoje. Algumas das acusações são passíveis de pena de morte, disse o secretário de Justiça dos EUA, John Ashcroft."Este é um dia importante na guerra contra o terrorismo e o tráfico de drogas nas Américas", disse Ashcroft a jornalistas, no Departamento de Justiça.As acusações são os eventos mais recentes numa série de esforços norte-americanos para combater o lucrativo tráfico de cocaína e desmantelar facções rivais na guerra civil que há 38 anos afeta a Colômbia. Os Estados Unidos acusam os grupos rebeldes de financiarem seus esforços de guerra com dinheiro obtido com o tráfico de entorpecentes.Os indiciamentos foram apresentados contra quatro membros das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc), guerrilha esquerdista que combate forças regulares do governo colombiano e grupos paramilitares de direita.Os indiciados foram identificados como Jorge Briceño Suárez, Thomas Molina Caracas e Henry Castellanos Garzón. Um quarto indiciado não teve a identidade revelada pelas autoridades norte-americanas.O Departamento de Estado dos EUA lista as Farc em seu relatório anual de "organizações terroristas estrangeiras".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.