EUA informarão vínculos entre Bin Laden e atentados

Os EUA compartilharão em breve informações sobre como Osama Bin Laden e sua rede terrorista al-Qaeda estão vinculados aos ataques de 11 de setembro, disseram hoje fontes oficiais. "Em um futuro próximo, poderemos mostrar um documento que o relaciona ao ataque", indicou o secretário de Estado, Colin Powell, ao falar sobre o suposto mentor dos atentados durante entrevista à rede de televisão NBC. Powell disse que a primeira meta dos EUA é desmantelar a rede al-Qaeda e indicou que qualquer ação militar no Afeganistão, onde supostamente se esconde Bin Laden, não terá a escala da Guerra do Golfo, de 1991.O presidente americano, George W. Bush, assistiu hoje em Camp David à cerimônia em que os fuzileiros navais ergueram a bandeira dos EUA, que estava a meio mastro desde os atentados terroristas de 11 de setembro. Bush permanceeu em silêncio durante a cerimônia realizada para simbolizar a recuperação e "mostrar a unidade dos EUA nesta prova", disse um porta-voz da Casa Branca, Gordon Johnroe.Ao mesmo tempo, no Afeganistão, os milicianos do Taleban no governo disseram que Bin Laden, a quem consideram um "convidado", não está mais no país. Mas as autoridades americanas se monstraram céticas a esse respeito. "Eles sabem onde ele está", disse o secretário de Defesa, Donald Rumsfeld, à rede de televisão CBS. "Simplesmente não se pode acreditar que os talebans não saibam onde a rede pode estar localizada, nem possam entregá-la ou expulsá-la". Rumsfeld, Powell e Condoleezza Rice, a assessora de Segurança Nacional do presidente, disseram que o governo americano fez contatos com Síria e Irã - dois países que os EUA acusaram de patrocinar o terrorismo - para pedir-lhes apoio no combate contra o terrorismo.Os funcionários dos EUA disseram que os dois países devem cessar todo o apoio aos terroristas ou enfrentarão sanções. "Não vamos dizer que há bons terroristas e maus terroristas?, disse Rice à cadeia Fox. "Quem patrocina o terrorismo é hostil aos EUA", acrescentou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.