EUA intensificam esforços para nova reunião com a Coréia

O chefe da missão dos Estados Unidos no diálogo sobre a Coréia do Norte, Christopher Hill, intensificou seus esforços para conseguir uma nova reunião com os representantes norte-coreanos, após o seu encontro desta quarta-feira com o negociador japonês, Kenichiro Sasae.Hill disse, antes da abertura dos trabalhos, que esperava poder se reunir com a delegação norte-coreana. Mas por enquanto não se sabe se o encontro já aconteceu.A atividade diplomática entre os seis países envolvidos nas conversas (as duas Coréias, EUA, China, Japão e Rússia) aumentou nos últimos meses, desde que a Coréia do Norte realizou o seu primeiro teste nuclear, dia 9 de outubro, o que levou à imposição de sanções por parte da ONU."Não sei onde vamos terminar nem quando", reconheceu Hill. Ele se mostrou pessimista em relação a uma solução rápida para o atual conflito entre EUA e Coréia do Norte.A imprensa americana afirma que Washington não pretende suspender as sanções unilaterais impostas a Pyongyang há um ano.A primeira reunião entre a missão americana e a norte-coreana, ontem, se concentrou na possibilidade de retirar as sanções impostas pelos EUA há treze meses às contas norte-coreanas no Banco Delta Asia, de Macau.Os EUA acusam a Coréia do Norte de utilizar o banco para uma rede de falsificação e contrabando de dólares para a venda de armas.Hill admitiu que não houve avanços, mas acrescentou que o diálogo foi "substancial" e a posição norte-coreana foi mais flexível que no primeiro dia do diálogo a seis, na segunda-feira. Ele falou por telefone com a secretária de Estado, Condoleezza Rice, sobre o desenvolvimento das conversas.A Coréia do Norte exige a retirada das sanções para retomar o diálogo sobre seu programa nuclear.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.