EUA interceptaram comunicações de aliados de Bin Laden sobre atentado

Os Estados Unidos começaram a investigar a participação do terrorista saudita Osama bin Laden no pior atentado da história do país.De acordo com senador republicano Orrin Hatch, de Utah, os serviços de inteligência norte-americanos interceptaram comunicações entre seguidores de Bin Laden discutindo os ataques ao World Trade Center e ao Pentágono."Eles interceptaram algumas informações onde pessoas associadas com Bin Laden reconhecem que alguns alvos foram atingidos", disse Hatch em entrevista à Associated Press. Ele se recusou a dar mais detalhes.O senador também disse ter informações de que pelo menos um dos vôos seqüestrados está ligado à organização terrorista de Bin Laden.O Taleban, a milícia islâmica que governa o Afeganistão, disse que Bin Laden não tem os recursos necessários para executar um ataque terrorista desse porte.Analistas de segurança disseram que os destroços do avião que caiu na Pennsylvania são a principal fonte de pistas, pois há mais chances de encontrar a caixa preta do avião neste local."Algumas das primeiras pistas devem vir deste avião", disse Eugene Poteat, um funcionário aposentado da CIA. A caixa preta, que registra as leituras dos instrumentos de vôo e as vozes da cabine podem ter gravado vozes das pessoas que cometeram o atentado.Fontes do governo disseram que pelo menos um comissário de bordo e dois passageiros usaram seus telefones celulares para descrever a situação nos aviões seqüestrados.As pessoas indicaram que os seqüestradores estavam armados com facas, e em alguns casos esfaquearam comissários de bordos para tomar o controle das aeronaves.Barbara Olson, esposa de Theodore Olson, procurador geral do Departamento de Justiça dos Estados Unidos, estava no vôo 77 da American Airlines que deixou o Aeroporto Internacional de Dulles e foi lançado contra o prédio do Pentágono. Ela ligou para seu marido durante o seqüestro e disse que os seqüestradores estavam usando "instrumentos parecidos com facas" para dominar os tripulantes e passageiros.Theodore Olson confirmou ter recebido ligações telefônicas de sua esposa. "Ela ligou do avião enquanto ele era seqüestrado e desviado", disse Olson.Um passageiro do vôo da United que deixou Boston e se chocou contra o World Trade Center fez duas ligações para seu pai, disse um funcionário americano sob condição de anonimato.O funcionário disse que o pai da vítima foi entrevistado pelo FBI. O pai dessa pessoa disse ter recebido duas ligações. No primeiro telefonema, o passageiro contou que uma aeromoça havia sido esfaqueada. Na segunda chamada, o passageiro avisava seu pai que o avião estava "caindo".Uma aeromoça do segundo avião a se chocar contra o World Trade Center conseguiu ligar para um telefone de emergência da American Airlines. Segundo uma fonte da empresa, que não quis se identificar, a aeromoça disse que vários integrantes da tripulação foram esfaqueados e que os seqüestradores tomaram o controle do avião, lançando o contra o chão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.