EUA investem em rede de comunicação 'sombra'

Como meio de burlar a censura de governos autoritários, os Estados Unidos pretendem munir seus dissidentes com sistemas de internet "sombra" e de telefonia celular independente, segundo reportagem do jornal The New York Times. No Irã, Síria e Líbia, o governo americano já financia a criação de redes sem fio e invisíveis ao controle das autoridades. No Afeganistão, gastou US$ 50 milhões em uma rede de telefonia celular independente, a partir das torres de proteção de bases militares. O projeto mais ambicioso do Departamento de Estado prevê a criação do protótipo de uma mala, munida de material facilmente configurável para permitir o acesso à internet e à telefonia.

Denise Chrispim Marin, O Estado de S.Paulo

13 de junho de 2011 | 00h00

A iniciativa foi motivada pela decisão do ex-presidente Hosni Mubarak, do Egito, de bloquear a internet nos últimos dias de seu governo. Proibições e restrições também foram impostas pelo governo da Síria, para impedir a comunicação entre manifestantes contrários ao regime.

Durante décadas, os EUA valeram-se da rádio Voz da América nos países autoritários. Recentemente, segundo a reportagem, os EUA desenvolveram um software capaz de preservar o anonimato dos usuários - algo especialmente útil para os chineses e para aqueles que passam informações confidenciais de seus governos para Washington. Hillary Clinton, afirmou por escrito ao NYT haver uma "oportunidade histórica" para uma mudança. "Estamos focados em ajudá-los a falar com suas comunidades, seus governos e com o mundo."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.