AP
AP

EUA investigam Toyota por veículos utilizados pelo Estado Islâmico

Departamento do Tesouro americano quer saber como jihadistas conseguem os veículos que aparecem em 'propagandas' do grupo

O Estado de S. Paulo

07 Outubro 2015 | 17h35

O Departamento do Tesouro dos Estados Unidos está investigando como os integrantes do Estado Islâmico conseguem adquirir tantos veículos da Toyota. Os carros da montadora aparecem em grande parte dos vídeos de propaganda divulgados pelo grupo jihadista.

Em sua defesa, a Toyota esclareceu em comunicado que apoia a busca, mas afirma que não tem conhecimento de como os seus veículos chegaram até os integrantes. "É impossível para qualquer fabricante de automóveis realizar o controle após a venda para terceiros. Muitos dos carros usados nos vídeos não são vendidos nos Estados Unidos", afirma Ed Lewis, diretor de comunicação da sede da Toyota em Washington.

De acordo com Lewis, a empresa está integralmente comprometida com as leis e os regulamentos de cada país ou região onde atuam e exige que seus revendedores e distribuidores façam o mesmo. O diretor de comunicação também afirmou que a companhia japonesa tem uma política rígida de não vender automóveis a potenciais compradores que possam usar ou modificar os veículos para fins paramilitares ou para atividades terroristas.

Lewis sugeriu para o Departamento do Tesouro verificar a procedência de empresas privadas. "Nosso entendimento é que o Tesouro deve conduzir uma ampla investigação de fornecedores no Oriente Médio, incluindo institutos financeiros, fabricantes e empresas de energia".

O Departamento do Tesouro não quis comentar quais empresas são investigadas no momento, mas afirmou que existe um esforço contínuo para entender como funciona o financiamento do Estado Islâmico.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.