EUA ironizam tuíte 'gentil' de egípicios

Irmandade e embaixada trocam farpas no Twitter

O Estado de S.Paulo

14 de setembro de 2012 | 10h08

No terceiro dia consecutivo de protestos contra a Embaixada dos EUA no Cairo, a representação americana no Egito adotou um tom bem mais sarcástico na relação com a Irmandade Muçulmana, grupo islâmico que é a base política do presidente egípcio, Mohamed Morsi.

O bate-boca começou quando o Twitter da Irmandade Muçulmana retransmitiu uma mensagem, em inglês, do vice-líder do movimento islâmico, Khairat al-Shater. "Estamos aliviados porque ninguém na Embaixada dos EUA no Cairo se feriu e esperamos que as relações entre EUA e Egito resistam à turbulência dos eventos ocorridos na terça-feira."

Enquanto isso, em árabe e também pelo Twitter, a Irmandade Muçulmana louvava as manifestações violentas. O grupo islâmico afirmou que os egípcios tinham direito de se manifestar contra o filme ofensivo ao profeta Maomé e conclamou uma marcha de "um milhão" para hoje.

"Obrigado", respondeu a embaixada dos EUA ao tuíte de Al-Shater reproduzido pela Irmandade. "Por falar nisso, vocês checaram suas próprias atualizações em árabe? Espero que vocês saibam que nós as lemos também."

A Irmandade Muçulmana tentou então amenizar o tom da troca de mensagens. "Sabemos que vocês estão sob muito estresse, mas seria melhor se vocês indicassem exatamente sobre qual atualização em árabe vocês estão falando", tuitou o grupo islâmico. A embaixada americana não respondeu. / REUTERS e AP

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.