EUA: jovem de 15 anos é preso após assassinar diretor de colégio

O adolescente que assassinou o diretor de uma escola rural nesta sexta-feira em uma pequena cidade no Estado de Wisconsin, nos Estados Unidos, foi preso por autoridades locais. Eric Hainstock, de 15 anos, entrou em um colégio de Cazenovia portando duas armas e atirou no diretor John Klang mesmo após enfrentar a resistência de outros alunos.O jovem foi preso em flagrante e acusado por homicídio em primeiro grau, segundo um promotor distrital. Nenhuma outra pessoa se feriu.Ainda não está claro porque Hainstock resolveu atirar e nem se o diretor da Escola Weston era o alvo pretendido por ele, explicou o xerife Randy Stammen.Segundo testemunhas, o estudante entrou no colégio pouco antes do início das aulas portando uma carabina. Um segurança, professores e outros alunos tentaram impedi-lo, mas Hainstock conseguiu passar por todos e deu três tiros em Klang.Segundo o segurança, o garoto era um aluno com "necessidades especiais", e teria dito a ele que pretendia matar uma pessoa em específico. Hainstock não disse quem seria sua vítima."Ele estava calmo, mas parecia determinado", disse Dave Thompson, de 43 anos.Shelly Rupp, uma colega de Hainstock de 16 anos, descreveu o garoto como alguém que tinha poucos amigos e que era "doido da cabeça"."Ele sempre fazia brincadeiras sobre trazer coisas para a escola que pudessem ferir as crianças", disse Shelly.Duas armasThompson conta que o garoto primeiro apontou a arma para o rosto de um professor. Impedido pelo segurança, que agarrou a carabina da mão dele, Hainstock logo sacou outra arma, o que obrigou Thompson e o professor a procurarem abrigo. Segundo uma outra testemunha, o estudante "sacou uma pistola .22 e começou a atirar no diretor. Acho que neste momento o diretor correu e agarrou o garoto".Klang, de 49 anos, foi baleado na cabeça, peito e perna, segundo as autoridades. Ele morreu horas depois em um hospital em uma cidade próxima.Segundo a promotora Patricia Barrett, Hainstock pode ser condenado a prisão perpétua caso seja condenado. O Estado de Wisconsin não tem pena de morte.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.