AP
AP

EUA: Justiça nega condicional ao assassino de John Lennon

Esse foi o sétimo pedido de liberdade condicional feito desde que Mark Chapman foi preso

AE, Agência Estado

23 de agosto de 2012 | 12h17

A Justiça de Nova York voltou a negar pedido de liberdade condicional apresentado por Mark Chapman, o assassino do ex-Beatle John Lennon. Esta foi a sétima aparição de Chapman perante a comissão que avalia pedidos de liberdade condicional desde o assassinato, cometido em dezembro de 1980.

Veja também:

mais imagens IMAGENS: 30 anos sem John Lennon

forum CURTA NOSSA PÁGINA NO FACEBOOK

"Apesar de seus esforços positivos durante o cumprimento da sentença, a libertação neste momento prejudicaria enormemente o respeito pela lei e caracterizaria como corriqueira a trágica perda de vida causada por seu crime hediondo, despropositado, violento, frio e calculado", avaliou Sally Thompson, integrante da comissão que analisou o pedido.

A audiência foi realizada quarta-feira, mas a comissão divulgou o resultado somente nesta quinta, 23. Chapman, hoje com 57 anos de idade, recebeu sentença de 20 anos a prisão perpétua em 1981, depois de declarar-se culpado pelo assassinato de Lennon. O artista tinha 40 anos quando foi baleado por Chapman. O criminoso poderá apresentar novo pedido de liberdade condicional dentro de dois anos.

Com AP

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.