EUA: Kerry pede libertação de ativistas chinesas

O secretário de Estado dos Estados Unidos, John Kerry, pediu a libertação imediata e incondicional de cinco ativistas chinesas detidas antes

Estadão Conteúdo

11 de abril de 2015 | 09h12

Do Dia Internacional da Mulher, em março.

Kerry disse em um comunicado que as mulheres tinham organizado uma campanha pacífica para ajudar a acabar com o assédio sexual e promover a igualdade de direitos para as mulheres. Para ele, as autoridades chinesas devem apoiar essas ativistas, "não silenciá-las"

Até agora, o Ministério das Relações Exteriores da China tem rejeitado os apelos internacionais para a libertação das cinco mulheres, qualificando tal posicionamento como uma interferência na soberania judicial do país.

As cinco mulheres estão presas em um centro de detenção de Pequim, acusadas de perturbação da ordem. Se condenadas, elas podem ser sentenciadas a até três anos de

Prisão. Fonte: Associated Press

Tudo o que sabemos sobre:
EUAATIVISTAS CHINESAS

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.