EUA lançam guerra contra o ópio afegão

Cultivo da papoula é a principal fonte de financiamento do Taleban

Dexter Filkins, The New York Times, O Estadao de S.Paulo

30 de abril de 2009 | 00h00

Comandantes americanos planejam cortar a principal fonte de dinheiro do Taleban - a multimilionária produção de papoula, matéria-prima do ópio - posicionando milhares de soldados em três províncias.O plano de enviar 20 mil fuzileiros navais e soldados às províncias de Helmand, Kandahar e Zabul até setembro promete semanas, talvez meses de combates pesados. Autoridades americanas creem que o Taleban defenderá com energia o motor econômico da insurgência. Os soldados extras, peça central do esforço do presidente Barack Obama para reverter o curso da guerra que já dura sete anos, praticamente dobrarão as patrulhas que já operam na região. Em muitos casos, os americanos estarão entrando em áreas onde poucos soldados estiveram antes. Acredita-se que o Taleban coleta, com extorsões e cobrança de taxas, até US$ 300 milhões por ano do comércio afegão de ópio - que representa 90% do total mundial. Segundo os americanos, isso é o bastante para sustentar todas as operações militares do Taleban no sul do Afeganistão durante um ano. "O ópio é sua fonte financeira", disse o brigadeiro John Nicholson, vice-comandante das forças da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) no sul do Afeganistão. "É por isso que achamos que o Taleban lutará por essas áreas." Para os americanos, o principal objetivo do reforço será dar segurança à população afegã, e, com isso, isolar os insurgentes. Mas, como a papoula é cultivada em áreas densamente povoadas e o Taleban está disperso no meio do povo, os americanos dizem que terão de quebrar o controle do grupo sobre o cultivo de papoula para obter sucesso. Ninguém no Afeganistão acha que isso será fácil. Usando suas táticas de guerrilha, os combatentes taleban frequentemente desaparecem quando confrontados por forças convencionais. Mas, nas áreas da papoula, o Taleban provavelmente permanecerá e lutará.PROTEÇÃOAcredita-se que entre as maneiras de o Taleban obter dinheiro do comércio de ópio está a cobrança de proteção dos agricultores; se os americanos e britânicos atacarem os cultivos, o Taleban provavelmente cumprirá sua parte nesse trato.Guerreiros taleban já começaram a combater qualquer esforço de americanos e britânicos para se deslocar até as áreas de cultivo. Muitos dos novos soldados americanos se espalharão ao longo da fronteira de 880 quilômetros entre Afeganistão e Paquistão, grande parte dela desguarnecida. Esses soldados deverão estar em seus postos até 20 de agosto, na tentativa de garantir segurança para a eleição presidencial no Afeganistão. A presença de papoula e ópio na região trouxe uma enorme dose de incerteza na guerra. Pelas regras de engajamento da Otan, as forças americanas e outras são proibidas de atacar alvos ou pessoas relacionados apenas à produção de drogas. Essas pessoas não são consideradas combatentes.Mas estão autorizadas a atacar contrabandistas ou instalações associados às drogas que estejam ajudando o Taleban. Para oferecer uma alternativa ao cultivo de papoula, os militares americanos estão reservando US$ 250 milhões para projetos de agricultura como a melhora na irrigação para o cultivo de trigo. Nicholson disse que também está sendo preparado um plano de US$ 200 milhões para melhorar a infraestrutura, sobretudo as estradas para levar culturas ao mercado. Nicholson disse que a intenção é tentar recuperar a economia agrícola que prosperou no Afeganistão nos anos 70. Isso, mais que a força militar, derrotará o Taleban, disse ele.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.