EUA lançam guerra de propaganda no Afeganistão

Os Estados Unidos lançaram um novo tipo de "bombardeio" contra o Afeganistão, além do armado. O novo gênero de bombardeio consiste em atacar com inúmeros panfletos, jornais, revistas e cartazes, enquanto que a rádio Voz da América transmite, a cada meia hora, uma programação nos dois principais idiomas do país, o pashto e o dari. A guerra norte-americana de propaganda é feita pelos "psico-comandos" do "Psychological Operations Group", com sede na base do Exército em Fort Bragg (Carolina do Norte). Desde a semana passada, este comando está em ação, presumivelmente no Usbequistão. No domingo, o território afegão foi "bombardeado" com transmissões de rádio e com panfletos de propaganda. Segundo as fontes oficiais, o horário de transmissão da Voz da América deve ser ampliado. Os programas tentarão explicar os motivos da guerra contra o terrorismo, com o objetivo de evitar mensagens de propaganda mais direta, como por exemplo convidar os soldados afegãos a desertar. No domingo, o discurso em que o presidente George W. Bush anunciou a campanha militar foi transmitido ao vivo e em seguida traduzido em muitas línguas, entre elas pashto dari, árabe e farsi. Num editorial de três minutos, o diretor da Voz da América, Robert Reilly, lembrou que os EUA são os maiores doadores de ajuda humanitária para o povo afegão. "Agora os Estados Unidos procuram levar adiante com muito esforço aquilo que o regime do Taleban não fez e, por isso, queremos ajudá-los e garantir a eles os remédios de que precisam", declarou Reilly. Leia o especial

Agencia Estado,

08 Outubro 2001 | 19h24

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.