EUA lançam maior ataque aéreo do pós-guerra no Iraque

Jatos de combate dos Estados Unidos atacaram nesta terça-feira áreas no norte do Iraque usadas como base em ações de guerrilheiros iraquianos, desfechando o maior bombardeio aéreo no Iraque desde que o presidente americano, George W. Bush, declarou encerradas as grandes operações de combate, em 1º de maio, disseram fontes nas forças de ocupação. A operação foi lançada nas imediações de Baquba, 50 quilômetros a nordeste de Bagdá, numa região identificada como um dos principais focos de resistência à ocupação americana. Jatos e helicópteros bombardearam edifícios abandonados e árvores ao longo de uma estrada onde com freqüência militares americanos são atacados com granadas propelidas por foguetes. Foram despejadas duas bombas de 225kg. Em Mosul, no norte do país, dois soldados americanos ficaram feridos por uma bomba que foi detonada quando eles passavam por uma estrada. Um civil americano que trabalhava para uma empreiteira foi morto em um ataque em Bagdá, disseram militares dos EUA. As forças americanas estão lançando uma ampla ofensiva nas regiões central e norte do Iraque em resposta à intensificação das ações da guerrilha nas últimas semanas, nas quais foram mortos dezenas de soldados. Na noite de hoje, ouviram-se fortes explosões em Bagdá, no que parecia ser uma incursão das forças dos EUA contra insurgentes. Na segunda-feira, os militares mataram seis combatentes iraquianos e prenderam cerca de cem suspeitos. Em um videoteipe enviado à TV libanesa LBC um grupo denominado Exército de Maomé se responsabilizou pela derrubada de um helicóptero americano no início do mês, causando a morte de 16 soldados. O grupo também assumiu a autoria do assassinato de Aquila al-Hashimi, membro do Conselho de Governo iraquiano, e ameaçou desencadear mais ataques se as forças dos EUA não se retirarem do país dentro de 15 dias. Em Bagdá, o ministro dos Direitos Humanos, Abdel Bassat Turki, acusou as forças de americanas de violarem os direitos dos iraquianos, com prisões irregulares e revistas de casas. O secretário americano de Estado, Colin Powell, reuniu-se hoje com chanceleres dos países da União Européia, em Bruxelas, para discutir as divergências sobre o Iraque e projetos de defesa européia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.