EUA lembram 50 anos da morte de Kennedy

Cinquenta anos depois de o presidente John F. Kennedy ter sido assassinado em Dallas, em 22 de novembro de 1963, milhares de pessoas irão relembrar o dia com uma cerimônia solene no Dealey Plaza, onde a comitiva de Kennedy foi atingida pelos tiros. O evento desta sexta-feira, que começa ao meio-dia e meia (horário local, 16h30 em Brasília), terá um breve discurso do prefeito da cidade, o badalar do sino da igreja e leituras de discursos do ex-presidente pelo autor David McCullough.

Agência Estado

22 de novembro de 2013 | 10h45

A homenagem também será realizada em Boston, onde a biblioteca e o museu de Kennedy abrirão uma pequena exibição com itens do funeral de estado que nunca foram expostos, além de um tributo musical que não será aberto ao público. Em Washington, o presidente Barack Obama vai se encontrar reservadamente na Casa Branca com líderes e voluntários do Peace Corps., grupo formado pelo ex-presidente.

Cerca de cinco mil ingressos foram distribuídos para a cerimônia no Dealey Plaza, que fica ao lado do Texas School Book Depository, prédio no qual o atirador Lee Harvey Oswald se escondeu quando fez os disparos. A Academia Naval dos Estados Unidos fará uma performance em homenagem à Kennedy, além de um voo de aeronaves da Força Aérea. O minuto de silêncio será respeitado às 12h30, momento exato do tiro.

Inúmeros eventos são realizados no entorno de Dallas neste ano para marcar o cinquentenário da morte de Kennedy, incluindo painéis com pessoas que estavam no local no dia 22 de novembro de 1963, além de concertos e exibições em museus. Fonte: Associated Press

Tudo o que sabemos sobre:
EUAKennedymorteaniversário

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.