EUA levam mundo para "vala cheia de sangue", diz Saddam

A agressão americana contra o Afeganistão está empurrando o mundo para uma "vala cheia de sangue e tragédias", disse hoje o presidente iraquiano, Saddam Hussein. Em sua terceira carta aberta ao povo americano desde os ataques terroristas de 11 de setembro, Saddam afirma que "o mundo precisa abortar os projetos agressivos dos Estados Unidos, incluindo sua ofensiva contra o povo afegão, que deve cessar imediatamente". Saddam, um dos inimigos mais ardentes dos Estados Unidos, afirmou que o Ocidente falhou em descobrir as verdadeiras razões que levaram aos ataques contra Nova York e Washington. Segundo o líder iraquiano, "a culpa deve ser assumida pela política externa americana". "A injustiça e a pressão resultantes disto (da política externa dos EUA) nas pessoas levaram às explosões (e) os eventos de 11 de setembro deveriam ser analisados nessas bases", afirmou Saddam em sua carta, que também teve como endereço o governo dos EUA e os países ocidentais. Muitos árabes e muçulmanos se opõem aos EUA, criticando o país por sua política em relação ao Oriente médio, que, segundo eles, privilegia Israel em seu conflito com os palestinos, e mais recentemente pelos ataques contra o Afeganistão.Leia o especial

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.