EUA libertam centenas de prisioneiros de Abu Ghraib

O Exército dos Estados Unidos libertou centenas de prisioneiros da penitenciária de Abu Ghraib, situada a oeste de Bagdá, na periferia da capital iraquiana. Parentes reuniram-se em frente à penitenciária e acompanharam cinco ônibus que saíram pelos portões do centro de detenção. Os prisioneiros estavam sendo levados às cidades de Kirkuk, Tikrit e Baqouba. Mais tarde, outro grupo deverá ser levado de avião à cidade de Mossul, no norte do Iraque."Você sente como se tivesse deixado o fogo do inferno e ingressado no paraíso", disse Ali Majid, de 34 anos, um ex-piloto. A libertação - a quinta em grande escala desde o surgimento do escândalo de torturas na prisão - ocorre um dia depois de o Exército americano ter prometido que cerca de 1.400 detidos serão libertados ou transferidos para as autoridades iraquianas em 30 de junho, quando um governo interino assumirá parcialmente a soberania do Iraque.Entretanto, os americanos insistem em manter entre 4.000 e 5.000 detentos sob sua custódia por considerá-los "ameaças" às forças de ocupação. Periodicamente, os EUA libertam prisioneiros de Abu Ghraib, que também foi um famoso centro de tortura durante o regime liderado por Saddam Hussein. O Exército americano garante que repassará o controle do presídio ao governo iraquiano em agosto.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.