EUA libertam mais de 400 prisioneiros de Abu Ghraib

Militares americanos libertaram cerca de 450 iraquianos que estavam detidos em Abu Ghraib, presídio onde ocorreram os abusos e torturas cometidos por soldados dos EUA denunciados em todo o mundo. Alguns dos iraquianos soltos hoje contaram histórias de espancamento e abuso psicológico. Um comboio de pelo menos seis ônibus, acompanhado por tropas em veículos blindados, levou os detentos da prisão para as cidades de Tikrit e Baqouba, ao norte de Bagdá. A libertação ocorre dois dias depois de o primeiro soldado americano ter sido condenado pelos crimes de Abu Ghraib. Em Baqouba, dois ônibus lotados deixaram detentos que foram entregues à polícia local e soltos pouco depois. Os prisioneiros libertados beijaram o chão e ajoelharam-se em prece ao deixar a base policial da cidade.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.