AFP PHOTO / JIM WATSON
AFP PHOTO / JIM WATSON

EUA mandarão reforço ao Iraque para retomada de Mossul

Segundo o chefe do Pentágono, 560 soldados devem colaborar com a operação militar iraquiana contra o Estado Islâmico

O Estado de S. Paulo

11 de julho de 2016 | 17h09

BAGDÁ - O secretário de Defesa americano, Ashton Carter, anunciou nesta segunda-feira,11,  em Bagdá que em breve seu país enviará 560 soldados extras ao Iraque para ajudar às Forças Armadas na reconquista de Mossul, reduto do grupo jihadista Estado Islâmico (EI) no país.

Os militares serão enviados à Base Aérea de Qayyarah. Para o secretário de Defesa, o combate ao terrorismo na região não deve ser uma luta apenas dos Estados Unidos, do Iraque e da Síria. "Continuaremos observando o que mais podemos fazer para criar e aproveitar oportunidades e acelerar as últimas derrotas do EI", acrescentou.

Carter prometeu que os EUA darão todo o apoio necessário para responder às necessidades das forças iraquianas e acelerar as operações de libertação de Mossul. Ele também expressou condolências pelas vítimas do atentado do último dia 3 no centro de Bagdá, que deixou 292 pessoas mortas.

O ministro da Defesa do Iraque, Khalid Al-Obeidi, garantiu que as forças iraquianas já estão em etapas avançadas para libertar Mossul e insistiu na necessidade de mobilizar mais à comunidade internacional para tratar o problema da população deslocada.

As duas partes trataram também da cooperação e coordenação bilaterais e dos mecanismos para desenvolvê-las, sobretudo no âmbito militar, acrescentou o comunicado.

Carter chegou hoje a Bagdá em uma visita surpresa para tratar sobre a luta contra o Estado Islâmico com os responsáveis iraquianos. Sua última visita ao Iraque foi em 18 de abril, quando debateu com o primeiro-ministro Haider Al-Abadi a necessidade de cooperar para cortar as provisões e os contatos que o EI mantém entre a cidade iraquiana de Mossul e a Síria.

Segundo fontes do Departamento de Defesa americano, o número de soldados adicionais enviados estava em torno de 200. Com isso, o total de militares americanos no Iraque supera os 4 mil. / EFE

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.