EUA mantêm tropas no Iraque, apesar do aumento de ataques

Atentas ao aumento dos ataques de resistência, autoridades norte-americanas mantêm o objetivo de fazer frente às forças inimigas no Iraque, onde três soldados morreram ontem. Em visita à capital do Iraque, o sub-secretário americano, Richard Armitage, declarou que os Estados Unidos estão dispostos a combater a guerrilha iraquiana. Ele afirmou que o fim das operações militares, anunciado pelo presidente George W. Bush em 1º de maio, não significava o fim dos combates. ?Penso que estamos em uma zona de guerra?, disse o ?número dois? da diplomacia norte-americana, reconhecendo que as tropas norte-americanas vêm enfrentando problemas de segurança nas cidades de Bagdá, Tikrit (norte do Iraque), Ramadi e Faluja (oeste do país). Em entrevista a um jornal árabe, o secretário de Estado norte-americano Colin Powell descartou a retirada das tropas americanas do Iraque. O número de soldados americanos mortos após o dia 1º de maio chega a 147 e pode atingir 153, caso se confirme a responsabilidade sobre o acidente envolvendo um helicóptero norte-americano que levava seis soldados.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.