EUA manterá mais soldados no Afeganistão

Os Estados Unidos vão manter cerca de mil soldados a mais do que o planejado no Afeganistão no início do próximo ano para suprir uma falta de homens da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan) na nova missão para treinar e orientar forças de seguranças afegãs. A informação foi dada neste sábado pelo Secretário de Defesa norte-americano Chuck Hagel em sua visita final ao país como chefe do Pentágono.

Estadão Conteúdo

06 de dezembro de 2014 | 18h05

Em uma coletiva de imprensa ao lado do presidente afegão Ashraf Ghani, Hagel afirmou que o plano original de cortar o número de soldados norte-americanos para 9,8 mil até o final de 2014 havia sido abandonado, mas não em razão de novos ataques do Taleban.

Hagel disse que os EUA vão manter até 10,8 mil soldados nos primeiros meses de 2015 e depois reiniciar a retirada. A expectativa já traçada é de chegar a 5,5 mil soldados até o final do ano que vem.

Os EUA decidiram manter mais homens no país temporariamente porque compromissos de aliados norte-americanos para uma missão da Otan de treinamento e assistência começando em janeiro demoraram para se materializar.

O general John Campbell, alto comandante norte-americano no Afeganistão, disse a jornalistas durante a entrevista neste sábado que ele está confiante de que membros da Otan vão providenciar o número necessário de soldados para a nova missão. Na avaliação dele, o processo irá apenas levar algumas semanas ou meses a mais do que o esperado. Fonte: Associated Press.

Tudo o que sabemos sobre:
EUAAfeganistãoretirada

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.