EUA manterão ajuda à Iugoslávia

O Departamento de Estado anunciou nesta segunda-feira que a Iugoslávia, depois de deter o ex-presidente Slobodam Milosevic, cumpriu as condições para receber uma ajuda de US$ 50 milhões. O anúncio foi formulado pelo porta-voz do Departamento de Estado, Richard Boucher, 24 horas depois que militares iugoslavos prenderam Milosevic. O secretário de Estado Colin Powell também advertiu que a ajuda está condicionada à continuidade de cooperação da Iugoslávia com o Tribunal de Crimes de Guerra das Nações Unidas em Haia. O governo sérvio deteve não apenas Milosevic, como também outros dois funcionários acusados por sua suposta responsabilidade em crimes de guerra, que foram indiciados pelo tribunal internacional.O governo de Vojislav Kostunica, que substituiu o regime autoritário de Milosevic, indicou que o ex-presidente seria processado na Iugoslávia por corrupção, e não por crimes de guerra.Ao ser interrogado sobre se Milosevic deverá ser extraditado para os EUA para que a Casa Branca tome a iniciativa de uma conferência de doadores para a Iugoslávia, Boucher respondeu que a avaliação norte-americana sobre a cooperação iugoslava com as autoridades judiciais de Haia "não estará baseada em uma só medida". Milosevic foi detido na madrugada de domingo e ficará preso por 30 dias, enquanto são elaboradas as provas do processo que ele deverá enfrentar por corrupção e abuso de poder durante os 13 anos em que esteve à frente do governo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.