EUA marcam dez anos do massacre de Columbine

Em 1999, dois estudantes mataram a tiros 12 alunos e um professor de um colégio.

BBC Brasil, BBC

20 de abril de 2009 | 19h33

Os americanos marcam nesta segunda-feira os 10 anos do massacre de Columbine, em que dois alunos de um colégio no Estado do Colorado mataram 12 alunos e um professor.

A escola Columbine High School, onde ocorreu o massacre, não abrirá nesta segunda, em homenagem aos mortos. Uma sessão especial de lembrança da tragédia está marcada para esta segunda-feira na cidade.

No dia 20 de abril de 1999, os adolescentes Eric Harris e Dylan Klebold invadiram a escola armados, matando pessoas a esmo e depois se suicidando.

No domingo, centenas de pessoas participaram de uma vigília em um parque próximo à escola Columbine High School.

Kirsten Kreiling, presidente da Fundação Columbine Memorial, que representa os familiares das vítimas, estima que mil pessoas participaram da vigília de domingo.

"Esta é uma hora para a comunidade voltar a se unir como ela fez há 10 anos, no dia das mortes", afirmou Kreiling.

A filha de Dave Sanders, o único professor morto no episódio, disse que o aniversário de 10 anos da tragédia é o momento certo para finalmente deixar o caso para trás.

"Nós passamos os últimos 10 anos lembrando o dia da sua morte. Eu acho que de agora em diante, vamos tentar é celebrar a sua vida", disse Connie Sanders.

O diretor de Columbine, Frank DeAngelis, também está entre as pessoas que devem participar das homenagens desta segunda-feira. Ele prometeu que só deixará o cargo no dia que todas as crianças que estava no jardim de infância na época do incidente tiverem completado todo o ensino básico.

Na sexta-feira, o governador de Colorado, Bill Ritter, ordenou que as bandeiras fossem hasteadas a meio pau em prédios públicos.

O massacre de Columbine reabriu o debate sobre porte de armas nos Estados Unidos, um tema que é polêmico até hoje. Desde Columbine, outros massacre do tipo aconteceram no país, entre eles o da Universidade de Virginia Tech, onde 32 pessoas foram mortas por um estudante em abril de 2007.BBC Brasil - Todos os direitos reservados. É proibido todo tipo de reprodução sem autorização por escrito da BBC.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.