EUA matam líder da Al-Qaeda no leste da África

Forças dos Estados Unidos atacaram atacaram hoje um carro no sul da Somália e mataram um dos mais procurados integrantes da rede extremista Al-Qaeda, disseram fontes dos governos norte-americano e somali. O queniano Saleh Ali Saleh Nabhan, de 28 anos, é acusado de envolvimento nos ataques contra as embaixadas dos EUA no Quênia e na Tanzânia em 1998 e no atentado que matou 15 pessoas em um hotel no Quênia, em 2002. Além de Nabhan, mais uma pessoa morreu e duas foram capturadas, disseram testemunhas.

AE, Agencia Estado

14 de setembro de 2009 | 20h08

Ele era considerado o líder da Al-Qaeda no leste da África e era o responsável pelos campos de treinamento de extremistas na Somália. O ataque que o matou ocorreu em um povoado nas proximidades de Barawe. O governo somali afirmou que Nabhan estava acompanhado de outros rebeldes do Al-Shabaab que, segundo os EUA, é um braço da Al-Qaeda na Somália. Analistas afirmam que os países falidos no chifre da África têm se tornado um reduto para os militantes. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
EUAAl-QaedalíderÁfrica

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.