ALBERTO PIZZOLI
ALBERTO PIZZOLI

EUA monitoram ameaças contra o papa Francisco dias antes da visita do pontífice

Segundo o presidente do Comitê de Segurança Nacional da Câmara, uma ameaça já foi 'frustrada' pelo país 

O Estado de S. Paulo

14 Setembro 2015 | 09h10

WASHINGTON - O presidente do Comitê de Segurança Nacional da Câmara dos EUA, Michael McCaul, disse no domingo que as autoridades americanas estão monitorando "ameaças" contra o papa Francisco, que visitará o país a partir do dia 22, e frustraram uma delas.

McCaul afirmou em entrevista ao canal ABC que o monitoramento está sendo feito "muito de perto". "Frustramos uma ameaça em particular", disse o americano.

"Ele (papa Francisco) é uma pessoa apaixonada. Gosta de ver as pessoas e com isso vem um grande risco à segurança", acrescentou McCaul, que não detalhou em que consistia a suposta ameaça. Ele explicou ter recebido uma informação sigilosa do Serviço Secreto sobre a visita papal. Francisco passará pelas cidades de Washington, Nova York e Filadélfia.

O deputado se mostrou especialmente preocupado com as ameaças que representam os chamados lobos solitários, por serem difíceis de detectar já que não estão vinculados a uma organização com ramificações.

Durante a visita de Francisco, a segurança no país será reforçada. Haverá maior controle aeroportuário, pontos de controle nas cidades que o papa visita e a proibição dos instrumentos "paus de selfies" para fazer fotos durante a passagem da comitiva de Francisco. /EFE

Mais conteúdo sobre:
papa Francisco EUA Washington

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.