EUA mudam administração de Bagdá

A administradora americana para Bagdá, Barbara Bodine, está voltando para Washington depois das críticas de que o processo de reconstrução da cidade não está evoluindo como o planejado. Bodine havia sido indicada pelos Estados Unidos para administrar o centro do Iraque, incluindo a capital.Seu retorno a Washington é parte de uma operação maior de mudanças na operação para reconstruir o país, que está sendo conduzida pelos Estados Unidos e pela Grã-Bretanha. Na semana passada, já havia sido anunciada a substituição do general da reserva Jay Garner, que deixa o posto de administrador-geral do Iraque para o especialista em contra-terrorismo Paul Bremer.Bodine teve papel importante no esforço de reconstrução, mas recebe críticas de que as condições de vida não melhoraram no país. Mesmo alguns funcionários de dentro da operação de reconstrução reconhecem o caos, explicando que não estavam preparados para a tarefa, de acordo com correspondentes.Várias cidades vizinhas a Bagdá ainda não têm eletricidade e água encanada, o lixo é jogado nas ruas e muitos lojistas mantêm seus comércios fechados com medo de saques.Paul Bremer deve chegar ao país na próxima semana. Não está claro qual será o papel do atual administrador, o general reformado Jay Garner, depois da chegada de Bremer.De acordo com o jornal americano Washington Post, uma "organização muito diferente" será colocada em prática até o fim deste mês. Ao mesmo jornal, Barbara Bodine, que foi embaixadora em Bagdá nos anos 80, disse que considerou natural sua retirada."Nós colocamos a máquina para funcionar", disse ela. "Agora é a vez de entregarmos o posto a alguém que vai cuidar das transformações políticas."As informações são do site da BBC em português. Para ler o noticiário da BBC, que é parceira do estadao.com.br, clique aqui.Veja o especial :

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.