EUA não aceitam medidas anunciadas por Arafat

O presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, não aceita as últimas medidas anunciadas pelo líder palestino Yasser Arafat como ações sérias para eliminar o terrorismo, afirmou hoje o vice-presidente Dick Cheney. "Até agora, Yasser Arafat não fez o que ele sabe que deve ser feito", afirmou. Cheney disse também que Arafat está "claramente envolvido - ou pessoas muito próximas dele estavam envolvidas" - em um caso de contrabando de armas. "Minha opinião pessoal é que isto (o contrabando) não poderia ter ocorrido sem o conhecimento de Arafat", disse o vice-presidente em uma entrevista na televisão. A posição do governo está complicando as relações entre os Estados Unidos e alguns países árabes. O governante da Arábia Saudita, príncipe Abdullah, afirmou que mantém-se próximo dos Estados Unidos, mas acha difícil concordar com o apoio norte-americano a Israel no conflito com os palestinos. A Casa Branca considerou inadequado o comunicado emitido pelo gabinete palestino segundo o qual Fuad al-Shobaki, que é acusado de envolvimento no caso de contrabando de 50 toneladas de armas em um navio do Irã para os territórios palestinos, fora transferido para uma prisão. "Já houve prisões antes que logo depois que as pessoas eram detidas elas saíam pelas portas dos fundos da cadeia", afirmou o porta-voz da Casa Branca, Ari Fleischer.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.