EUA não aceitam soldado americano julgado pelo TPI

O Departamento de Estado dos EUAadvertiu a governos de outros países que poderão perder aajuda militar proveniente de Washington se não protegerem ossoldados norte-americanos enviados em forças depaz do alcance dorecém-estabelecido Tribunal Penal Internacional (TPI). Dois países, Romênia e Israel, prometeram não entregar osmembros norte-americanos das forças de paz à corte. A Holandanegou-se a seguir a recomendação sob o argumento de que istoafetará a autoridade do TPI, ao qual Washington se opõe. As embaixadas dos Estados Unidos receberam instruções paranegociar acordos com os governos estrangeiros para proteger oscidadãos norte-americanos presentes em forças de paz. A CasaBranca quer a promessa de que seus soldados não serãoextraditados para julgamento. Em Washington, embaixadores de diversas nações foramconvocados ao Departamento de Estado nas últimas duas semanaspara serem lembrados de que o presidente George W. Bush estáautorizado a retirar ou seguir com a ajuda de acordo com osinteresses dos Estados Unidos. A corte foi estabelecida para julgar indivíduos acusados degenocídio e outros crimes contra a humanidade. Washington dizque se opõe ao TPI porque o tribunal poderia deixar cidadãosnorte-americanos "à mercê de perseguições políticas".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.